Chocomachine

Têmpera, dosagem e eliminação de bolhas

Detalhes

Único equipamento 100% nacional que permite a homogeneização e têmpera perfeita do produto, garantindo um acabamento e brilho impecável ao chocolate.


Versatilidade

Equipamento projetado para realizar 4 funções simultâneas:

Derretimento do Chocolate.

Têmpera.

Dosagem.

Eliminação de bolhas, através do vibrador automático.


Qualidade do Produto Final

Permite o controle preciso das temperaturas de derretimento e têmpera por tipo de produto, chocolate ao leite, meio amargo, amargo etc, garantindo a perfeita homogeneização. 


Controle de Dosagem Anti entupimento

Pedal ergonômico para interrupção do fluxo de chocolate, sistema de segurança que impede o endurecimento do chocolate dentro do equipamento durante a dosagem.


Alta Produção

Produção de chocolate temperado até 20kg.
 

Fácil Operação

Temperaturas reais e programadas com indicações independentes, facilitando o controle e operação da têmpera.
 


Mesa Vibratória

Vibrador para dispersão das bolhas de ar dos moldes, já incluso no equipamento.
 

Origem da marca CHOCOMACHINE

A Chocomachine é marca registrada da Finamac e o equipamento foi projetado e desenvolvido integralmente em nossas instalações, por nossos engenheiros.

Trata-se do primeiro e único equipamento para têmpera de chocolate genuinamente nacional com tecnologia equiparável ou superior às melhores tecnologias hoje adotadas para processamento de chocolate no mundo todo. 

Rapidez na produção, equipamento contínuo que possibilita colocar os pedaços de chocolate direto no tanque sem necessidade de utilização de aparelho de microondas ou derretedeiras.

Mais eficiência, precisão no ajuste da temperatura para temperar o chocolate.

Elimina o desperdício de excessos de chocolate na dosagem da forma.

Elaboração de um produto padronizado, sem defeitos e com qualidade superior.

Sem acúmulo de chocolate nas laterais da forma durante a produção, mantendo a higiene.

Possibilidade para produção de formatos pequenos e delicados, pois o equipamento elimina as bolhas de ar no chocolate.

Facilidade de limpeza do equipamento.

Possibilidade de trabalhar com diversos tipos de chocolate.

 

0
Detalhes Técnicos
Consumo de energia elétrica 2,8Kw
Instalação Elétrica 220V
Dimensões
Dimensões do engradado 850mm x 650mm x 1645mm
Dimensões do equipamento 470mm x 1500mm x 700mm
Peso
Peso Bruto, com engradado 180Kg
Peso líquido 140 Kg
Produção
Capacidade de produção 20Kg
Condensação Ar

 

 

Os Melhores Chocolates do Mundo

Especialistas afirmam que os melhores chocolates do mundo são produzidos, basicamente, em três paises: Bélgica, França e Suiça.

Eles explicam que por que tais barras são superiores às demais e escolhem a marca de cada um desses países que consideram campeã em sabor.

 
BÉLGICA

O que torna os chocolates belgas especiais: o melhor processamento do cacau e da massa do chocolate, resultados da avançada técnologia da indústria local.
 
Marca preferida pelos especialistas: Pierre Marcolini.
 
A razão da escolha: os grãos de cacau que servem como base para a produção desses chocolates são importados de plantações reconhecidas por produzir as melhores sementes do mundo, o que lhes confere um sabor raro.

 
FRANÇA

O que torna os chocolates franceses especiais: a maior variedade de sabores originais e de alta qualidade.
 
Marca preferida pelos especialistas: La Maison du Chocolat.
 
A razão da escolha: sua massa é exclusivamente produzida à base de manteiga de cacau. Ao descartar qualquer outro tipo de gordura, o chocolate ganha em sabor e permite um derretimento perfeito na boca de quem o consome.

 
SUIÇA

O que torna os chocolates suiços especiais: o leite com o qual são fabricados, de qualidade superior à do leite de outros países.
 
Marca preferida pelos especialistas: Lindt.
 
A razão da escolha: apesar de serem produzidos em escala industrial, esses chocolates têm equilibrio perfeito entre os sabores do cacau e do leite.
 
 
FORMULA CAMPEÃ

O que os melhores chocolates do mundo têm em comum?
 
1) São produzidos com as melhores sementes de cacau. Os grãos vêm de países como Equador, São Tomé e Príncipe.
 
2) A massa de cacau responde por 70% da receita. Nas barras de pior qualidade, predominam gorduras como as hidrogenadas e os óleos de coco e dendê.
 
3) Eles primam pela criatividade: são produzidos com novas texturas e recheios de sabor raro.
 
 
 

 
A Importância em Temperar o Chocolate

Devido a natureza da manteiga de cacau, o chocolate deve ser temperado ou pré-cristalizado.

A temperagem é um processo de cristalização controlada, que tem por objetivo a formação de cristais estáveis na manteiga de cacau, que permite a rápida solidificação do chocolate na forma, facilidade na desmoldagem e ótimas características de brilho, textura e sabor no chocolate.

A Chocomachine oferece com exatidão a variação correta de temperatura para atingir o máximo de brilho no chocolate e garantir a perfeita qualidade do produto.
 
 
 

Representação da correta temperagem do chocolate ao leite

 

 A História do Chocolate

A história do chocolate tem inicio na civilização asteca, que veneravam o deus Quetzalcoalt , quem entre outras coisas lhes deu o cacau, taças de chocolate eram na época chamadas “tchocolath”.

Em 60 a.C., os maias situaram as primeiras plantações de cacau, o que melhorava muito sua economia na época de colheita. Enquanto que nas civilizações maias e astecas a nobreza é quem se dava ao luxo de saborear tal alimento, os incas produziam cacau suficiente para suprir toda a população.

Nesta época, a polpa era usada para fazer os alimentos e a semente servia de dinheiro para as trocas comerciais.

Quando em 1502, Colombo chegou as Américas os astecas lhe ofereceram cacau, bem como o chocolate, porém Colombo não viu importância.

Apenas em 1519, quando Hernando Cortez desembarcou no México para conquistá-lo, os astecas o receberam cordialmente, pois achavam que ele era a encarnação de Quetzalcoalt, o “tchocolath” servido era amargo e apimentado, muitas vezes com baunilha e mel.

Também eram adicionados pimentão, pimenta e cogumelos alucinógenos.
 
Cortez então, admirado com ao espiritualismo do fruto, e com intenções de promover riquezas para seu país, implantou uma plantação na Espanha, e para atenuar o amargo eles o adoçavam com mel.

Com  o conhecimento adquirido dos astecas, o chocolate logo ganhou lugar na família real e na corte espanhola permanecendo segredo durante décadas.

No início do século XVII o chocolate foi levado da Espanha para a Itália, logo se expandiu para a França também. Quando os espanhóis não conseguiam sustentar a demanda apenas com as plantações do México e da Guatemala, foi dado inicio as plantações venezuelanas que se tornaram o principal fornecedor.
 
Com a revolução industrial, o chocolate se tornou acessível ao povo, sendo que sua fabricação teve aperfeiçoamento pelos suíços e holandeses, obtendo-se o pó e a gordura separada. O aumento do consumo proporcionou um aumento do numero de países que produziam o chocolate.

Na segunda parte do século XX o chocolate ganhou variedades de acordo com a cultura local.

No Brasil a chegada do cacau se deu no século XVIII, e por mais de um século o Brasil era um dos maiores exportadores do mundo, houve queda na produção garças a pragas e concorrências com outros países. Porém, em 2004, o Brasil voltou a quinta posição colhendo cerca de 16 mil toneladas.
 
Biliografia: BATISTA, A.P.S.A., NALON, F.L. Chocolate: sua história e principais características. Brasilia. 2008.

 

Histórico Envie seu contato