ROBOPOP START

Produtora e desenformadora de picolés

Detalhes

Descrição

A mais inovadora produtora de PICOLÉS do mundo!

Este equipamento é produzido no Brasil e nos Estados Unidos.

Produto certificado para Estados Unidos e Canadá sob normas UL (segurança elétrica) and NSF (sanitária)

 

Descrição

Equipamento semi automático para CONGELAMENTO e DESMOLDE de picolés à base de água (abacaxi, limão etc.) ou à base de leite (chocolate, baunilha etc.). Atende normas Norte Americanas UL (funcionalidade e segurança) e NSF (Sanitária).


O picolé

O picolé ficou muito mais conhecido depois da recente febre de PALETAS MEXICANAS e dos ICE CREAM BAR, do tipo MAGNUM (Kibon-Unilever) ou MEGA (Nestlè) ao redor do mundo.

A paleta Mexicana é um picolé feito com ingredientes naturais e volume em torno de 130 ml, bem superior aos tradicionais picolés de 70 ou 90 ml. Também pode ser feito com recheios, pedaços de frutas ou granulados.

Seu formato é retangular, grande e bastante colorido, seja pela variedade de sabores, seja pelos particulados sólidos que nele são introduzidos. Trata-se de um picolé muitíssimo atraente, tanto no aspecto visual quanto no aspecto sabor. É um sucesso mundial!

Já os picolés do tipo ICE CREAM BAR, cuja tradução simples significa "sorvete no palito", são feitos com sorvete aerado e cobertura de chocolate. Esses produtos eram produzidos, até bem pouco, somente em linhas industriais de grandes fábricas de sorvete.


As produtoras de picolé

As picoleteiras da linha ROBOPOP foram projetadas para produzir esses dois tipos de picolés, além de todos os outros já existentes no mercado. São máquinas que não exigem operador especializado, o que facilita sua instalação em qualquer tipo de comércio e não somente em pontos de alimentação.

Máquinas de picolé possuem um tanque provido de um fluido mantido em baixa temperatura que, agitado fortemente, congela a mistura dos picolés dentro de moldes de aço inoxidável imersos nesse tanque. Durante esse processo, são inseridos os palitos que ficarão presos aos picolés. Após o congelamento, os moldes são retirados do tanque de congelamento e inseridos num tanque com água quente para desmolde, extração e posterior embalagem.

A maioria dos equipamentos para produção de picolés utilizam este mesmo conceito há décadas. O que muda é o tipo de fluido de congelamento, que pode ser álcool, salmoura ou glicol, e o sistema de agitação, que poder ser feito por hélices ou bombas de circulação desse fluido.

Algumas novidades surgiram na automatização dessas operações e, mesmo assim, as funções continuam as mesmas de antigamente.

A competição entre fabricantes de produtoras de picolés ficou apenas na tradição, na base de “quem criou a primeira máquina”, ou no lançamento de pequenos detalhes construtivos que pouco ou nada acrescentaram no resultado final do sorvete produzido.

Todas as máquinas nunca perderam a cara de “caixote” e mantiveram exatamente os mesmos padrões construtivos durante muitos e muitos anos. Uma estrutura metálica com um tanque também metálico, envolvidos por chapas dobradas, e só.

A nova linha ROBOPOP é o resultado da observação e estudo de muitos anos, e chegou para quebrar de vez a mesmice em que se encontram os atuais equipamentos para produção de picolés no mundo todo.

O nome ROBOPOP lembra rapidez de produção de POPSICLES, nome muito usado nos Estados Unidos para definir picolés, que este novo equipamento é capaz de produzir com várias outras novidades nunca vistas no mercado. O picolé não será mais somente uma guloseima gelada. Prepare-se para surpreender seus clientes com as novidades da ROBOPOP!


Novo sistema de desmolde dos picolés

O tanque de desmolde dos picolés agora faz parte da máquina e está ao lado do tanque de congelamento. Ele utiliza o mesmo fluido, porém aquecido, que é usado para congelamento, sem uso de água aquecida como nas máquinas convencionais.

A grande vantagem deste sistema é que não há mais a necessidade de transportar o molde até um tanque com água quente, evitando pingos de fluido congelante e água pelo ambiente de trabalho.

Além disso, como o molde é mergulhado no mesmo fluido que é usado para congelamento, não são adicionadas gotas de água no fluido durante o processo de trabalho.


Novo sistema para escorrer o fluido do molde

No mesmo tanque em que é feito o desmolde com fluido aquecido, um suporte perfurado basculante serve de apoio para que o molde permaneça ali por algum tempo escorrendo o fluido restante em suas paredes externas.

A extração dos picolés pode ser feita sobre esse suporte, bem como a realimentação do molde com nova mistura. Isso significa que o molde de picolés não precisa mais ser levado para uma mesa para as operações de retirada dos picolés e realimentação de mistura. Não é muito prático?


Novo fluido de congelamento e desmolde

Após muitos anos de pesquisa, a Finamac finalmente encontrou uma composição especial para o fluido de congelamento e desmolde de picolés.

As primeiras máquinas de picolé utilizavam uma mistura de água e sal para congelar os moldes. O forte poder corrosivo do sal destruía muitos componentes do equipamento e do local onde a máquina era instalada.

Passou-se a utilizar o álcool em substituição à salmoura, mas seu grande inconveniente é ser inflamável. Surgiu então o propileno glicol, substância similar à usada em radiadores de automóveis. Este produto tem o inconveniente de precisar ser misturado com água e acaba ficando muito viscoso em baixas temperaturas, o que dificulta sua agitação.

Tanto o álcool quanto o glicol não são bons transmissores térmicos e são miscíveis em água. Durante o processo de fabricação de picolés esses fluidos absorvem água do ambiente e dos moldes (que são mergulhados em água quente para desmolde, nas máquinas convencionais). O aumento da água no fluido de congelamento retarda muito a solidificação dos picolés.

Esse fluido é um composto que possui alta condutividade térmica e sua viscosidade varia muito pouco, mesmo em baixíssimas temperaturas. Além disso, não absorve água e nem se mistura com ela. É atóxico, não inflamável e aprovado pelas normas sanitárias norte americanas.

O resultado disso é uma produção de picolés muito mais rápida, limpa e eficiente. Sua reposição também é muito baixa, ao contrário de outros fluidos que evaporam durante o processo de produção.


Novos tanques

A linha ROBOPOP tem dois tanques, uma para o congelamento dos picolés (tanque frio) e outro, menor, para desmoldá-los (tanque quente). Ambos podem acomodar os moldes com maiores dimensões do mercado, do tipo Paletas Mexicanas. 

Utilizam menor quantidade de fluido térmico devido ao novo sistema de agitação, reduzindo o tempo que a máquina precisa para iniciar o ciclo de produção.

Providos de drenos para retirada do fluido, tanto do tanque de congelamento quanto do tanque de desmolde.

Em cada tanque há também um sensor de nível mínimo que evita que a máquina entre em operação sem estar adequadamente alimentada com fluido térmico.


Novo sistema de agitação do fluido congelante

O mesmo sistema de congelamento ultra rápido utilizado em grandes máquinas industriais foi colocado na linha ROBOPOP, sem qualquer parte móvel aparente e totalmente lavável.

Embaixo de cada molde está posicionado um jato de fluido congelante, fazendo com que TODOS os moldes fiquem prontos ao mesmo tempo, com congelamento uniforme dos picolés dentro de cada molde.


Nova tampa dos tanques

Feita em exclusivo vidro temperado curvo, esta tampa permite que as gotas de água que eventualmente se formam em sua parede escorram para as laterais do tanque, onde está posicionado um dreno para a parte traseira da máquina.

Dessa forma, evita-se que essas gotas de água caiam sobre os picolés que estão sendo produzidos dentro do tanque, se a tampa estiver em posição fechada.

Em posição aberta, as gotas da tampa também escorrem por um canal que direciona a água para um dreno.


Novo painel de comando

Está posicionado em local de fácil visão e acesso, podendo ser manuseado tanto com a tampa de vidro fechada quanto aberta.

Todos os botões são "Soft Touch" e sistemas de segurança garantem o bloqueio do funcionamento em caso de pane.

As temperaturas do tanque de congelamento e do tanque de desmolde são controladas precisamente, bem como todo o funcionamento da máquina.


Novas tampas para moldes de picolés

Para assegurar total atendimento às normas sanitárias NSF, cada molde de picolés agora vem equipado com uma tampa transparente que evita a entrada de impurezas ou gotas d'água em seu interior.

São facilmente desmontáveis e laváveis. Também auxiliam no isolamento térmico dos picolés durante a produção.


Novo sistema de ventilação

Desprovida de grades frontais, muito comuns em máquinas convencionais, a ROBOPOP aspira o ar pela parte inferior do equipamento e o expulsa pela parte traseira, possibilitando a saída do calor por dutos ou janelas na parede onde o equipamento for instalado.

A parte inferior do equipamento é composta de estrutura em aço inoxidável que suporta ambientes úmidos e permite a livre passagem do ar para refrigeração.


Design absolutamente inovador

Todos os detalhes construtivos deste equipamento atendem às normas Norte Americanas UL (funcionalidade e segurança) e NSF (sanitária).

A linha ROBOPOP representa o fim das máquinas com cara de “caixote”. Acaba aqui o conceito de que a máquina precisa ser escondida do cliente final para que ela não apareça, já que sua aparência é feia, desajeitada e pouco higiênica.

Sua estrutura inovadora é baseada em tecnologia aeronáutica, com gabinete monobloco em material composto de alta resistência acoplado ao aço inox, que envolve tanques e todos os outros componentes num só conjunto, sem qualquer emenda. Sua resistência é superior ao aço, seu peso é muito inferior e permite que seja escolhida a cor de preferência. É a primeira produtora de picolés no mundo com esse tipo de construção integral.

Sua ergonomia permite conforto total ao operador, além da enorme facilidade de limpeza e higienização. O conjunto forma linhas harmoniosas e limpas com forte atração visual, possibilitando utilização à vista do consumidor final.


A quem se destina

Pequenos empreendedores, que estejam iniciando no ramo, ou profissionais que desejam aumentar sua produção de forma modular, acoplando mais de um equipamento à medida que aumenta a necessidade de produção. Para quem precisa atingir padrão de qualidade de picolé industrial, mesmo que em pequenas quantidades, com ciclo de produção controlado.

Sorveterias/Picoleterias de rua ou shoppings, pequenas indústrias de picolés, pequenos pontos de venda e diversos tipos de lojas de alimentos podem facilmente colocar um equipamento destes em seu estabelecimento, com um simples treinamento do operador.

Pelo seu design inovador e por suas características técnicas apuradas, o picolé de alta qualidade produzido pela ROBOPOP e a forma como é apresentado atendem até os mais exigentes consumidores do mercado em locais de elevado padrão.


Sobre picolés de alta qualidade

O mercado de picolés é dividido em 2 grandes grupos: Artesanal e industrial.

- O picolé artesanal é feito de maneira mais elaborada, geralmente com ingredientes naturais, sendo exposto em vitrines e servido à vista do cliente. Sua durabilidade é inferior ao picolé industrial e precisa ser consumido em curto espaço de tempo.

- O picolé industrial é aquele produzido em larga escala e distribuído em freezers de super mercados e variados pontos comerciais. Sua durabilidade é alta pois precisa suportar diversas etapas de distribuição até chegar ao ponto de venda.

A diferença básica entre esses dois tipos de picolé está na estrutura de sua formulação. Quanto maior o tempo de validade do picolé, maior precisa ser sua estrutura, e esta é feita basicamente com o aumento da gordura e de estabilizantes em sua fórmula.

Como regra geral, podemos dizer que o picolé artesanal é mais rico em ingredientes naturais e pode ter teor de gordura médio ou alto. Ao picolé com alto teor de gordura dá-se a denominação “premium”. São os picolés do tipo ICE CREAM BAR.

Por fim, o picolé industrial precisa ter um teor de gordura de médio a alto e também uma composição que resista ao tempo, daí serem necessários também mais aditivos químicos na formulação.

Quanto ao processo de fabricação, o picolé artesanal é feito em temperaturas não muito baixas e quase sem incorporação de ar, com possibilidade de inserção de granulados sólidos e polpas de frutas, além de produzir pequenas quantidades de cada sabor.

Este picolé requer conhecimento sobre formulações por parte do artesão, pois é desta arte que resultam produtos realmente diferenciados. Para produzir o picolé artesanal são necessários, pelo menos, um pasteurizador e uma produtora de picolés.

O processo industrial utiliza diversas etapas de produção para que a mistura seja muito bem homogeneizada e estabilizada, de modo a possibilitar uma longa validade do produto. Quanto à granulometria e equilíbrio de componentes, o picolé industrial é o mais preciso e rigoroso.

A qualidade dos dois tipos de picolé, artesanal e industrial, é medida pelos ingredientes e processos utilizados em sua produção, além dos requisitos inerentes de higiene e confiabilidade do produto.

O picolé artesanal também pode ser feito com ingredientes mais simples ou muito mais elaborados, com um processo de produção que somente as produtoras de picolé artesanal possuem, resultando no produto mais saboroso e cremoso que pode ser produzido. A porcentagem de ar contida no produto é bem pequena e é incorporada de forma natural no preparo dos ingredientes.

Já o picolé industrial do tipo ICE CREAM BAR, que também pode ser produzido com ingredientes mais econômicos ou mais sofisticados, tem um processo de produção que visa aumentar a incorporação de ar na mistura bem acima do percentual obtido por uma picoleteira artesanal. Isso é necessário pois o picolé industrial precisa ter seu custo muito reduzido na fábrica, para que haja margem de distribuição e revenda do produto.

Resumindo, os dois tipos de picolé podem ser produzidos com alta qualidade de ingredientes e processo de fabricação, mas somente o picolé artesanal consegue atingir o que chamamos de diferencial qualitativo, em todos os aspectos.

Vantagens

1. É o negócio de menor investimento e maior taxa de retorno dentro do ramo alimentício.

2. Único que possibilita iniciar seu próprio negócio até em sua residência. Funciona com energia elétrica monofásica residencial ou comercial.

3. Não requer conhecimento prévio sobre fabricação de picolés. Cursos básicos e rápidos são dados na própria fábrica.

4. Fácil de operar, fácil de instalar, fácil de transportar.

5. A manutenção pode ser dada por um técnico comum de geladeira doméstica.

6. Ocupa somente 40% do espaço normalmente ocupado por um equipamento convencional equivalente.

7. Possui a maior velocidade de produção entre equipamentos convencionais equivalentes, nacionais ou importados.

8. É a última palavra em tecnologia de produção de picolés. Nem equipamentos importados utilizam este exclusivo sistema.

Dados técnicos

Detalhes Técnicos
Consumo de energia elétrica 2 KW
Instalação Elétrica 220 V, Monofásico ou Bifásico, 50/60 Hz.
Dimensões
Dimensões do engradado Largura = 1080 mm, Altura = 1450 mm, Comprimento = 920 mm.
Dimensões do equipamento Largura = 905 mm, Altura = 997 mm, Comprimento = 743 mm.
Peso
Peso Bruto, com engradado 120 kg.
Peso líquido 90 kg.
Produção
Capacidade de produção 200-250 picolés por hora ou 80-100 Paletas Mexicanas
Condensação Ar

* Os equipamentos com condensação a ar têm produção reduzida de 10% a 50%, a partir de uma temperatura ambiente superior a 28ºC até 45ºC.

* A produção do equipamento depende das condições climáticas e de instalação dos locais em que a máquina estará situada.

* Quanto maior o volume e peso do picolé a ser produzido, menor a velocidade de produção. Paletas Mexicanas de 130 ml são as mais demoradas para serem produzidas.

Dimensões

Sugestão de uso

1 ROBOPOP START + 1 Mixer 15 + 1 PP60. Produção de 200-250 picolés por hora.

Para produção de PICOLÉS AERADOS (ICE CREAM BAR): 1 ROBOPOP START + 1 ICE CLEAN ou SUPER C + 1 UNMOLD MACHINE para banho de chocolate.

5 máquinas ROBOPOP START lado a lado + TURBO DOSER + ALIGNER. Ligadas ao mesmo tempo podem produzir até 1000 picolés por hora. Em época de baixa venda, somente um ou dois equipamentos são acionados.

Fabricação de gelo, com formas especiais.

Resfriamento ultra rápido de bebidas, sucos, etc.

Resfriamento brusco de caldas de sorvete aquecidas no fogo, para completar o ciclo de pasteurização.

Dicas

FABRICAÇÃO DE PICOLÉS

MERCADO DE PICOLÉS

Histórico