C-JET - Máquinas de Sorvete

1ª Produtora contínua de sorvete com dosagem precisa de ar

Selo 100% Nacional
Selo American Certification
Selo Design Inovador
Selo Eco

Detalhes

Descrição

C - JET

A mais avançada geração de produtoras de sorvete aerado
Este equipamento será produzido nos Estados Unidos e no Brasil

O mercado de sorvete

Estimado em 57 bilhões de dólares anuais em 2017, este mercado deverá atingir a cifra de 69 bilhões em 2022, crescimento de 20% em 5 anos.
Trata-se de um mercado dividido entre sorvetes artesanais (feitos e vendidos no local), industriais (feitos em fábrica e distribuídos em pontos de venda) e sorvete soft (ou sorvete expresso, vendido em lojas de fast food como McDonald's). A participação de cada um varia muito de país para país, entretanto os sorvetes industriais detêm as maiores porcentagens por serem produzidos em larga escala por equipamentos como a C-JET.
O sorvete industrial é produzido por pequenas, médias e grandes empresas, cada uma com áreas de abrangência proporcionais à sua capacidade de produção. Suas principais características são a alta incorporação de ar (até 130%) e prazo de validade longo.

A importância da incorporação de ar

A produção de sorvetes em larga escala necessita uma rede de distribuição ampla e, para isso, o produto deve passar por pelo menos dois níveis de venda, começando por um distribuidor e posteriormente vários revendedores abaixo dele. Além disso, o transporte e armazenagem são também complexos. Isso tudo exige que o produto tenha custo de produção baixo para que o preço final seja acessível à maioria dos consumidores.
A injeção de ar no sorvete faz com que ele chegue a dobrar o seu volume (100% a mais de ar) e muitas vezes até ultrapassar (130%), alargando substancialmente a margem de retorno de modo que esta possa ser dividida entre distribuidores e revendedores e custear a infraestrutura de trasnporte e armazenamento. A indústria de sorvete, entretanto, ainda fica com uma boa fatia do lucro, sobretudo quando se analisa o total apurado sobre grandes quantidades produzidas.
O ar injetado no sorvete, dessa forma, assume papel fundamental em sua composição. Para que sua qualidade seja preservada, todos os componentes do sorvete precisam ser balanceados para que essas grandes quantidades de ar sejam retidas por ele sem perdas nutricionais, de sabor e cremosidade.

As produtoras contínuas de sorvete aerado

Consideradas as locomotivas da indústria de sorvete, são caracterizadas por bater e congelar o produto de forma ininterrupta, buscando a mistura (também chamada de calda) de um tanque refrigerado de uma lado e, por outro lado, dispensando o sorvete aerado por um tubo simples ou extrusor com formato específico.
A mistura é batida num cilindro com forte refrigeração ao redor, dentro do qual gira um dispositivo que contém lâminas para raspar o sorvete que congela nas paredes desse cilindro. Uma bomba injeta mais mistura, juntamente com ar, para dentro desse cilindro, à medida que o sorvete já congelado é extraído.

Novo cilindro de batimento e aeração

A C-JET possui cilindro de batimento feito em aço inoxidável especial, enquanto produtoras convencionais utilizam latão ou outros materiais recobertos, que podem contaminar o sorvete com óxidos tóxicos após certo tempo de uso. O cilindro de aço inoxidável possui área bem maior que os equivalentes em latão, para garantir uma excelente troca térmica e dar mais espaço para uma perfeita incorporação de ar no sorvete.
A espessura da parede do cilindro da C-JET é pequena e controlada (pouca variação na espessura ao longo do cilindro). Quanto menor a espessura, maior a velocidade de troca térmica entre o gás de refrigeração que circula ao redor do cilindro e o sorvete que é batido dentro dele. Cilindros de latão ou outros materiais possuem grandes espessuras e isso prejudica a velocidade.
O batedor da C-JET é dotado de mecanismo inédito para mistura do sorvete com ar, garantindo bolhas de tamanho muito reduzido e uniformemente distribuídas pelo produto. Máquinas convencionais geralmente formam bolhas com dimensões muito variadas e algumas de grande dimensão, que acabam "estourando" na saída da máquina e gerando falhas no envase.
O sistema de raspagem da C-JET atua em pequenas áreas de forma sutil, destacando pequenos filetes de sorvete da parede do cilindro a cada giro do batedor, ao contrário de raspadores convencionais que retiram extensas camadas de sorvete congelado por giro, dificultando a aeração posterior e aumentando o desgate da parede do cilindro.

Novas bombas de ar e calda

A linha C-JET utiliza bombas de ar e calda separadas, cada uma injetando a quantidade exata desses componentes para dentro do cilindro batedor. Isso garante que o sorvete saia da máquina sempre com a mesma porcentagem de ar incorporado.
Máquinas convencionais utilizam a mesma bomba para injetar tanto a calda quanto o ar, porém a variação da quantidade de ar incorporada no sorvete é grande e esta precisa ser regulada com frequência durante a produção.
Para que o sorvete comece a incorporar ar durante seu batimento, a pressão interna do cilindro precisa superar 3 vezes a pressão atmosférica (3bar) e ser mantida constante. Esta pressão pode chegar a 10 bar quando se deseja envasar o sorvete com máquinas automáticas. A bomba exclusiva para ar também assegura o alcance de qualquer pressão, mesmo as mais altas, mantendo-as sempre constantes durante o processo.
A bomba exclusiva para calda, por sua vez, também permite puxar o líquido de tanques mais distantes da máquina, bem como esvaziar por completo esses tanques. Máquinas convencionais que utilizam a mesma bomba para ar e calda, não conseguem esvaziar os tanques até o fim e também sofrem com variações de distância dos tanques até a máquina.
Para produção de açaí, a bomba de calda pode ser feita em cerâmica especial, material de maior resistência à abrasão.

Novo computador de bordo

Produtoras convencionais utilizam controladores eletrônicos comerciais adaptados para as funções que uma máquina de sorvete exige. Isto gera dois problemas:
1. Suas telas de comando ficam difíceis de usar pois foram feitas para uma infinidade de aplicações, exigindo do operador a utilização de muitas teclas ou etapas de inserção de dados.
2. Seu funcionamento é lento e geralmente incompleto, exigindo a colocação de botões mecânicos adicionais ou circuitos de segurança eletro mecânicos.
A C-JET recebeu um computador de bordo projetado exclusivamente para produzir sorvete em regime contínuo, facilmente configurável pelo operador através de um display gráfico "touch" de alta resolução, compreendendo as seguintes funções:
- Partida inteligente de um componente por vez, evitando sobrecarga na rede elétrica. Esses componentes são também desligados sequencialmente.
- Leitura de todos os parâmetros do sistema frigorífico para evitar danos como possíveis golpes de líquido no compressor de refrigeração, por exemplo.
- Escolha de : pressão interna do cilindro batedor, percentual de incorpoaração de ar no sorvete, quantidade a ser produzida, temperatura do sorvete etc.
- Detecção de esforço do batedor de sorvete para evitar seu travamento ou dano ao motor elétrico, com injeção automática de gás quente para derreter parcialemnte o sorvete que eventualmente congelou em excesso e poderia bloquear o giro do batedor.
- Monitoramento de eventuais falhas em todo o equipamento com ações corretivas automáticas ou programadas.
- Programa de manutenção preventiva de acordo com o número de horas em funcionamento de cada componente.

Design inovador

Seguindo a tendência mundial de ambientes industriais que precisam ser mostrados ao consumidor final para associar o produto à higiene e tecnologia utilizados na fabricação do sorvete, a C-JET foi desenhada para causar forte impacto dentro da linha de produção.
Seu painel amplo em vidro temperado, com comandos "touch", elimina as telas de plástico transparente utilizadas em máquinas convencionais, bem como permite lavagem com jato d'água sem qualquer dano. Não frisos, emendas ou parafusos nessa região.
A visualização do funcionamento da máquina, bem como sua configuração de produção, é feita por intermédio de um display colorido de alta resolução, onde também podem ser exibidos vídeos de manutenção corretiva ou preventiva.
As bombas de ar e calda são embutidas na frente do equipamento, ficando aparentes somente as partes necessárias para conexões com tubos de alimentação.
As chapas laterais de fechamento da máquina são curvadas para conferir maior rigidez, além de não possuírem qualquer parafuso aparente nem pontos onde possa haver entrada de água. Possuem isolamento acústico em sua parte interna.
Mesmo totalmente aberta, a C-JET apresenta um desenho muito limpo, com estrutura integral em aço inoxidável totalmente lavável. Todos os componentes em seu interior são protegidos contra umidade e jatos d'água.
As saídas para água de refrigeração e conexão elétrica são posicionadas no ponto mais alto na traseira da máquina, para facilitar engates com tubulações industriais elevadas, de modo a não obtruir o piso com tubos e cabos elétricos.

A quem se destina

Médias e grandes indústrias de sorvete, com infraestrutura completa de operação.

Vantagens

Diminuição do número de pessoas envolvidas no processo fabril de sorvetes. A central eletrônica do equipamento executa diversas funções de monitoramento e tomadas de decisão, exigindo pouca intervenção do operador. Uma vez configurados os parâmetros desejados para o sorvete o equipamento gerencia todos os componentes para que o regime de produção fique inalterado por muitas horas seguidas.
Menor custo de energia por quilo de sorvete produzido devido à elevada troca térmica entre o gás de refrigeração e o sorvete (cilindro com parede fina e controlada), à eficiência de batimento e raspagem do sorvete dentro desse cilindro (menos rotações do batedor para congelar e incorporar ar) e ao controle preciso do sistema frigorífico (aumento ou redução de frio de acordo com a necessidade, sem desperdício de energia).
Valor de revenda garantido por se tratar de equipamento compacto de alta produção e provido de tecnologia de ponta embarcada com todos os sistemas de controle incluídos. Trata-se de um módulo de produção de sorvetes de alta eficiência e baixo custo quando comparado a equipamentos industriais convencionais.
Limpeza facilitada pelo sistema de lavagem CIP (clean in place) e partes totalmente desmontáveis para melhor higienização ao final da produção. 

Dados técnicos

Detalhes Técnicos
Consumo de energia elétrica 18 kW.
Instalação Elétrica 220 V - 380 V, Trifásica, 60 Hz.
Dimensões
Dimensões do equipamento Comprimento = 1500 mm, Largura = 800 mm, Altura = 1300 mm.
Peso
Peso líquido 700 kg.
Produção
Capacidade de produção 300 a 900 litros por hora.
Condensação Água.

 

Sugestão de uso

A quem se destina

Médios e grandes produtores de sorvete industrial.

Sugestões de uso

C- JET acoplada às linhas Finamac de:
Pasteurizadores, para tratamento térmico da mistura antes do batimento do sorvete.
Picoleteiras, para produção de picolés aerados.
Envasadoras, para produção de cones, copos e potes de sorvete.
Incorporadores, para sorvetes com xaropes, flocos de chocoloate ou granulados sólidos em geral.

Dicas

FABRICAÇÃO DE SORVETE

MERCADO DE SORVETES

Histórico

Parceiros